Pra onde vão as roupas que você joga fora?

Meio Ambiente

Pra onde vão as roupas que você joga fora?

Você sabe pra onde vão as roupas que são jogadas fora? Bom, pra começar que esse negócio de ~ fora ~ nem existe, né? Tudo que é descartado, ou jogado no lixo, como preferir, vai parar em algum lugar. E é aí que a coisa começa a complicar. Que lugar misterioso é esse?

 

museu-alemanha

Instalação da exposição “Fast-fashion, the dark side of Fashion” no Museum für Kunst und Gewerbe Hamburg (Museu de Arte e Comércio de Hamburgo), na Alemanha, em 2015.

 

Pra visualizar e ter uma ideia do que a gente tá falando, da quantidade e do volume de roupas descartadas pelos países do dito primeiro mundo, a dica é assistir o documentário chamado Unravel que a gente falou aqui. É curtinho, tem menos de 15 minutos, mas é aquele soco no estômago sempre necessário pra gente sair da zona de conforto. Eles falam de 100.000 toneladas de roupas todo ano saindo do ocidente e indo parar na Índia, onde são recicladas e revendidas como cobertores. E aí pensa que essas roupas até que tem um final relativamente feliz. Estão sendo recicladas. E as que não são?

 

Durante o Copenhagen Fashion Summit, maior evento sobre moda e sustentabilidade que existe atualmente, foram divulgados dados bem horríveis: 92 milhões de toneladas de descarte têxtil foram produzidas em 2015 no mundo. É estimado que no Brasil são cerca de 170 mil toneladas de resíduos têxteis por ano. A grande maioria vai para lixão ou aterro. E dependendo da composição, leva centenas de anos se decompondo e ainda pode liberar gases e substâncias tóxicas no solo e nas águas subterrâneas.

 

Aqui no Brasil, infelizmente reciclagem têxtil não é uma prática comum. Aliás, é raridade. De todo o descarte de lixo, só 58% vai parar em aterros sanitários, os que são legal e “ambientalmente corretos”. O resto vai para aterros controlados e lixões – esses últimos um terror, com pessoas em situações degradantes catando resíduos. E temos hoje 1775 deles no país. São a maioria.

 

Mas aí vem uma boa notícia, que é uma promessa de melhoria a longo prazo. Segundo a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, famosa PNRS, existe uma coisa chamada responsabilidade compartilhada. Isto é, tanto o consumidor quanto os fabricantes, importadores e todos os envolvidos na cadeia produtiva tem responsabilidade legal de encaminhar de forma correta os produtos. A gente já falou disso aqui no blog quando explicou direitinho o que você pode fazer com as roupas que não quer mais pra evitar colocá-las no lixo comum.

 

Num mundo ideal, as roupas seriam feitas com tanto cuidado que seria possível transformar em comida no fim do ciclo de vida. Mas por enquanto a gente tem que lembrar de estender ao máximo esse ciclo. E quando não quiser mais, não jogar no lixo.

Adoramos essa frase do site do Roupa Livre, que é um lembrete diário pra gente aprender a se relacionar melhor com as roupas:

 

“SOMOS RESPONSÁVEIS POR NOSSAS ROUPAS DURANTE TODA SUA EXISTÊNCIA.”

 

Como elas complementam lá, “foi você quem escolheu e fez com que aquela peça existisse. Por isso, você também é responsável pelo que acontece depois que estas mesmas roupas não te servem mais.”

 

Aqui na Insecta a gente dá o exemplo, sabia? Se você não quer mais o seu sapato, por qualquer que seja o motivo, a gente recebe ele de volta para encaminhar da melhor maneira possível pro reaproveitamento e, dessa forma, contribuir para uma economia circular e responsável.

Insecta Shoes

Insecta Shoes

Calçados veganos e ecológicos, feitos a partir do reaproveitamento de roupas vintage.