Bolsa de sementes e ervas: cuidando da sua cólica com carinho e calor

Beleza & Higiene Natural

Bolsa de sementes e ervas: cuidando da sua cólica com carinho e calor

Super fácil de fazer, a bolsa de sementes é uma grande aliada na hora de cuidar da cólica. Basicamente são saquinhos de tecido, recheados por alguma semente ou grão (como linhaça ou arroz), opcionalmente com ervas (como a camomila) e que quando aquecidas, guardam este calor por um certo período. Ao ser colocada quentinha na região do desconforto, este calor pode ajudar a relaxar e aliviar a dor.

Pra mim, ao colocar uma destas no ventre nos dias de cólicas mais intensas, sinto como se eu estivesse sendo abraçada por dentro. Tento ficar quietinha por uns 30 minutos, no lugar mais tranquilo possível. Aos poucos vou sentindo a dor se dissolver e relaxo. Também já experimentei usar as bolsas de água quente, que funcionam com o mesmo princípio, mas senti que o uso das ervas e sementes contribui para relaxar ainda mais.

É claro que cada uma de nós tem níveis diferentes de cólicas. O mais importante é cada uma se observar e conhecer seu corpo para encontrar o melhor e cuidar da sua dor e se sentir mais confortável. Mas espero que estas bolsinhas façam você se sentir abraçada por aí também. <3

E ah, se você nunca costurou na vida, este pode ser um excelente primeiro projeto para começar. Não precisa nem ter máquina, ó que beleza.
// Você vai precisar de:

FOTO1
Materiais
  • Dois pedaços de tecido. Um para o saquinho e outro para a capa (tipo fronha).

Recomendo que você use tecidos de algodão, de preferência não muito grossos. Pra ficar mais bonito ainda, vale a pena reaproveitar retalhos que sobraram de outras costuras ou quem sabe até pedaços de peça de roupa que você não usa mais.

  • Materiais de costura básicos: Tesoura, linha, agulha, alfinetes e fita métrica.
  • Um punhado de arroz ou linhaça e ervas aromáticas. Usei e recomendo a Camomila pelo seu poder tranquilizante, acolhedor e muito mais. Recomendo a leitura deste texto Palmira Margarida sobre esta maravilhosa erva.
baca
Os tecidos

Para uma bolsa de 13cm x 20cm, usei tecidos com as seguintes medidas:

Para o saquinho: 14cm de largura por 30cm de comprimento.

Para a capa: 13 cm de largura por 21cm de comprimento.

Porém, cada corpo tem a sua própria medida e esta bolsinha pode ser feita em diversos formatos. Inclusive, este pode ser um exercício muito bacana de reconhecimento das suas necessidades na hora de se cuidar:

Qual o tamanho da sua dor? Que parte do ventre ela toma? Qual o seu formato? Que cor ela tem? Que cor você acha que cuidaria dela? Você não precisa se prender ao formato retangular  e pode experimentar diferentes formatos que tenha a sua cara.

 

// Primeira etapa: fazendo o saquinho

3ave

Dobre o tecido do saquinho ao meio. Costure as laterais deixando uma abertura de uns 3 dedos para você poder virar do avesso depois.

Dá pra fazer esta costura na mão ou na máquina. Se for a sua primeira costura, recomendo este vídeo da Nátaly Neri do Afros e Afins onde ela dá a letra da costura a mão.

Eu fiz esta à mão e como vocês podem ver não ficou mega reto. Mas ao virar do avesso  fica perfeito. Apenas cuide para ficarem pontos bem fechadinhos, evitando de deixar o recheio escapar.

Vira do avesso que dá tudo certo
Vira do avesso que dá tudo certo
Use um funil de papel
Use um funil de papel

Para encher com o saquinho, você pode contar com a ajuda de um funil feito de papel, como eu fiz na foto. No funil de cozinha a Camomila fica presa e não desce.

Eu coloquei cerca de 150 gramas de linhaça nesta bolsinha e umas 4 colheres cheias de Camomila.

Para fechar o saquinho depois de encher, você pode fazer uma costura simples, na parte de fora sem se preocupar em ficar com a costura à mostra, pois esta parte será coberta pela capa.

Eu particularmente não me incomodo com a costurinha aparecendo. Aqui eu até usei linha vermelha para dar mais visibilidade nas fotos, mas usando uma linha da cor do tecido já fica mais disfarçada.

Se você quiser dar um acabamento ainda melhor, pode fechar com o ponto invisível, como a Rubia ensina neste video.

 

// Segunda etapa: fazendo a capa

Dobre as pontas para fazer a barra
Dobre as pontas para fazer a barra

Vire o tecido da capa com a parte do avesso para cima e dobre as pontas.

Medindo para a caba servir direitinho
Medindo para a caba servir direitinho

Em seguida, coloque o saquinho perto ou dentro do tecido para medir e dobre o tecido da capa envolvendo o saco para ficar na medida certa. Deixe as pontas do tecido uma sobre a outra, sempre do avesso, para fazer a abertura da capa.

Costure do avesso
Costure do avesso

Costure as laterais que não foram dobradas para fechar a capa e vire do avesso. A capa está pronta para receber o saquinho e proteger o seu conteúdo.

 

// Usando a bolsa

Pronta para usar!
Pronta para usar!

Para usar a bolsa, aqueça por 1 minuto no microondas. Cuide para não exceder muito o tempo e não torrar o conteúdo. Também cheque a temperatura antes de usar, para não queimar a pele.

O calor dura de 20 a 30 minutos e você pode reaquecer quando começar a esfriar se precisar.

Depois de alguns usos, quando você sentir que perdeu o aroma da erva, pode abrir a costura, tirar o recheio e colocar um novo. E se o tecido for 100% algodão ou natural, ao fim da vida útil ainda poderá ser colocado na terra e ser compostado.

Experimente outros formatos
Experimente outros formatos

Eu recomendo que você faça a bolsa com as partes: saquinho e capa. Assim você garante que o conteúdo fique bem seguro ali dentro e também pode lavar com mais facilidade a capa. Porém você pode escolher fazer uma mais simples só com o saquinho.
Estas duas eu testei desta forma e em formatos diferentes.

 

Para além da bolsa, escolha seus rituais e monte seu próprio kit de cuidados.

Para além da bolsa de ervas e sementes, existem diversas outras maneiras da gente lidar com os nossos corpos com mais carinho, cuidado e auto-amor. Dos que eu utilizo, destaco aqui o coletor menstrual, os absorventes de tecido, os banhos de assento e a incrível Mandala Lunar. Todos eles formam o meu conjunto de cuidados íntimos. Colocando minha atenção para ouvir o meu corpo e dialogar dando o que ele precisa. Entendendo e respeitando os ciclos do corpo sempre na medida do possível.

Sugiro que você busque encontrar os seus e conte com o acompanhamento de profissionais que tenham esta visão de uma medicina mais doce, que cuide dos seus sintomas únicos e busque investigar as causas. Eles estão cada vez mais por ai.

No coletivo feminista Mulheres e Saúde, o tipo de consulta é totalmente voltado para o auto-conhecimento da mulher, por exemplo. Pra mim foi transformador passar por uma consulta ginecológica sem usar aquelas perneiras, podendo eu mesma inserir o espéculo, aquele acessório usado para fazer exames ginecológicos, e observando através de um espelho o exame sendo feito no meu colo do útero. Outro movimento lindo que fala de uma outra relação com os períodos femininos é o Plante Sua Lua, que promove oficinas sobre práticas ginecológicas naturais e dissemina a importância de devolvermos nosso sangue para a terra, adubando vasos e completando este ciclo natural. Para as mulheres que estão buscando deixar de usar anticoncepcionais hormonais, a Melissa Setubal oferece um acompanhamento que pode ser uma grande luz neste momento.

Enfim, existem diversas alternativas e profissionais a quem recorrer para termos um cuidado mais natural com nossos corpos. Em vários grupos do facebook mulheres apoiam outras mulheres com questões relacionadas aos ciclos a partir de suas experiências pessoais e nesta troca está algo riquíssimos: a nossa própria investigação sobre nossos corpos. Sugiro que você busque entrar em contato com estes movimentos e experimente observar o que faz sentido para você. Sou muito grata por todas as grandes mulheres que me apoiaram e apoiam nesta caminhada.

Que neste mês da mulher, e em todos os outros, a gente aproveite para celebrar e nos conhecer, aceitar e amar ainda mais!

Mariana Pellicciari

Mariana Pellicciari

Mari Pelli gosta de investigar de onde as coisas vêm, como são feitas e como a gente se relaciona com elas. Por isso cria e articula projetos como o Roupa Livre, onde propõe mais carinho, cuidado e afeto com o que vestimos. Deixou de trabalhar no ambiente publicitário para colocar suas habilidades como comunicadora à serviço de iniciativas que promovam novos olhares para o mundo. Faz isso atualmente através do Hell Yeah. Paulista, mora em Floripa para conviver com a natureza e aprender com seus ciclos e ritmos.

3 comments

  1. Amei, já fiz o meu. Coloquei camomila, arroz e alfazema ❤
    Você poderia linkar alguns grupos? Fiquei super interessada. Grata 🙏🌷

  2. Será que fica bom fazer com camomila, linhaça e chia?

Comments are closed.